quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Viver...



Vamos levando os nossos dias, 
Com a força exacta e proporcional à cada estado de espírito . 
Enfrentamos as dificuldades, e aceitamos de braços abertos os pedacinhos de felicidade.
Pequenas porções de alegria que iluminam a nossa vida,
E que de certa forma, lhe atribuem algum sentido . 
Vamos fortalecendo os laços que nos envolvem,
Assim como, os laços que nos fixam ao mundo... 
Esperando no dia seguinte, construir um novo rumo, 
Um novo caminho para edificar o nosso destino.

A cada nova meta, a cada pedaço de construção 
Colocamos todo o nosso empenho e dedicação...
Para que o resultado seja sólido ,  funcional ,  verdadeiro...
E igualmente , belo, poético , harmonioso e inesquecível . 

Cada um de nós é um ser único.
Dando a cada nova "edificação" uma personalidade própria 
Que a destingue de todas as outras.
Pois foram as perdas  e conquistas singulares 
Repletas de significado para quem as viveu
Que lhe atribuiram essa individualidade de sentido,
Mas universalidade para ser admirada por todos os outros.
Através da convivência constante e das emoções . ..
Emoções que mais tarde ou mais cedo nos ligam.
Que evoluem para sentimentos autênticos e vivos.

E, são estas metamorfoses constantes na construção do nosso ser , 
Que fazem com que viver , valha a pena . .
Fazem com que não nos tornemos em "edificações" devolutas.
Ao ficarmos presos a um passado esquecido..
 Apodrecendo num presente não vivido , 
E  ruindo num futuro  inexistente . .

Somos bem mais do que isso ! 
Porque as nossas  emoções ,  sentimentos e sonhos ,  fazem a vida vibrar dentro de nós! 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

quinta-feira, 6 de março de 2014

Pensamento


Somos feitos para sentir e viver cada momento...
Somos envolvidos por imagens que nos transportam para outros locais, outros tempos, outras vidas!
Atravessam-nos emoções fortes e por vezes surreais que contribuem de forma decisiva, para que lutemos ou não pelas nossas pretensões...
Pelos nossos sonhos...
Somos feitos para sonhar, para percorrer cada ilusão, para imaginar instantes, momentos, vidas...!
Somos tudo! Somos a força de viver...!
Que se extingue, quando se desvanessem os sonhos que lhe deram razão de existir...

E, nessas ocasiões, não somos mais do que pedaços de coisa alguma, a vaguear, ou a procurar novas formas de sonhar...
Somos o que Deus quiser! Somos apenas humanos, aguardando os seus momentos de felicidade...
Somos vidas! Que se constroem e desconstroem a cada dia, para no final, podermos ser uma belíssima obra de arte , pronta a ser admirada, explorada, ou simplesmente , esquecida!...


Cátia Rodrigues

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Esperança

Todo e qualquer sofrimento, um dia terá o seu final.
A dor não pode ser eterna!
É demasiado cruel para se assumir como uma verdade!
Um dia, algo ou alguém surgirá no nosso caminho.
Levando-nos a reconsiderar a nossa posição.
Irá lentamente preenchendo esses pequenos recantos,
Dentro do nosso peito, de forma a nos ajudar a reviver.
E, sob as cinzas do que foram antigas relações,
Surgem indícios de novas construções,
Formadas por novos sonhos, novas ilusões, novas emoções.
De maneira a que o nosso interior se reedifique!
Ou a sentir que compense fazê-lo.
Podemos nos desiludir nesse processo, como é óbvio,
Mas também podemos ser surpreendidos pela felicidade.
Sonhar é sempre gratificante!
É o reflexo da nossa capacidade única de amar.
Ainda que se torne em caminhos sem saída,
Vão ser sempre conpensatórios.
Porque a nossa existência não é mais do que uma viagem!
E, se esse trajecto estiver recheado de sonhos,
Tornará a vida bem melhor!

Cátia Rodrigues

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Saudade

Quantos detalhes nos levam à perdição.
De quantos detalhes são feitas as pessoas amadas.
Pormenores que nos prendem, nos deixam “vidradas”,
Por um devaneio do nosso coração!

Por entre ilusões, miragens e sonhos repletos de fantasia,
Nos encontramos, mulheres, finalmente...
Buscando a essência do que se sente,
Procurando o motivo de tal encanto e magia.

Lentamente, surgem respostas codificadas,
Que nos põem à prova a todo o momento
Que exigem de nós, alguma intensidade emocional.

Então dentro do peito, surgem vozes desesperadas,
Evocando detalhes presos no pensamento,
De quem ficou a ser para nós, muito mais do que um momento!


Cátia Rodrigues

25 Março 2010

Ironia da Vida

Sempre que julgamos que o caminho a seguir
É o mais correcto, ou que nos conduzirá aos nossos objectivos,
A vida encarrega-se de nos mostrar que não somos ninguém!
Pois baralha tudo ao nosso redor.
Remexe em toda a nossa existência,
De forma a que coloquemos em causa, cada conquista,
Levando-nos a ponderar  “certezas”,
E a equacionar a possibilidade de apenas “dúvidas”!
Não se trata de mudanças exclusivamente exteriores, ou físicas.
No momento mais impensável, são-nos exigidas decisões,
Ou lutas por algo, que nem nós mesmos sabemos definir!
Muitas vezes , dou por mim a pensar,
Que não passamos de meros resultados do acaso,
Conduzidos por dúvidas constantes!
Acabando unicamente por viver o que nos está destinado!...




Cátia Rodrigues
29 Agosto 2012 

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

A Vida

Não adianta fugir do nosso destino...
Tudo o que estiver reservado para nós,
Mais tarde ou mais cedo, acaba por nos encontrar,
Seja onde for, e sem qualquer tipo de previsão...
Podemos temer muitas das dificuldades
Que vão surgindo à nossa frente,
Mas a esperança das consequências,
E dos instantes de felicidade que desejamos viver,
É muito superior a qualquer receio...
E, são as boas eperiências, e a espectativa de mais como estas,
Que nos fazem sentir vivos...
Que nos fazem ansear por cada novo dia,
Por cada nova hora...
Eperando que a qualquer momento o destino nos surpreenda...
A nossa vida não é mais do que uma melodia imprevisível.
Repleta de notas e acordes dissonantes.
Mas, que se complementam a cada tempo...
Notas que reflectem o nosso estado de espirito,
O nosso "momento presente"...
Repruduzem as nossas vidas...
E, ao mesmo tempo, embriágam-nos com a sua harmonia,
Envolvem-nos em tais composições,
Que afinal não são mais do que a beleza da nossa existência...


Cátia Rodrigues

segunda-feira, 9 de abril de 2012

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

" Reflexo da Realidade"

Uma História de Amor

Uma História de Amor Um único Ser! Duas almas unidas pela natureza! Mostrando ao mundo a sua face iluminada. Ansiando tudo, e ao mesmo tempo nada. Resplandecendo a sua beleza! Verdadeiros apaixonados pela vida, Intensificando os sentimentos a cada dia que vai passando? Dedicação, admiração conseguida, A cada projecto, a cada carinho que se vai desejando? Dolorosa saudade sentida pelos que amam na plenitude, Enquanto estão separados fisicamente, quando não se podem ver? Dor que envolve as suas emoções repletas de juventude. Intensa é a vontade de se abraçar, de não se deixar enfraquecer! Cada conquista a dois, é uma vitória sem igual. A força do sentimento que os une, está sempre presente? Dão-se por inteiro, de uma forma especial, Acariciando o corpo, alimentando o coração e o que este sente? Almas vivas! Belíssimas almas, que vivem o Amor! Ondas leves! Ondas calmas, onde colocam suas vidas, para não sentirem dor. Serenidade no olhar, que reflecte o estado de espírito em cada momento, Emoção sentida em cada beijo trocado, mágico, como se fosse encantado? Nada lhes é indiferente, porque nada é tormento, Transparecem seus sentimentos através desse olhar tão apaixonado! Incessantemente se buscam, para mais docemente se perder, Manifestando carinho a cada pequena frase insignificante? Escrevem, pensando em quem os faz viver, Nada lhes dá mais felicidade que ser amado e ser bom amante? Têm força de viver! Vivem para se amar ? O verdadeiro Amor, é feito de doçura, para quem o encontrar!... Sós! Ficam os seus corpos, quando um deles parte? Unidos, permanecem. Na Alma e no sentimento. Bebem o cálice da imortalidade, característico da Arte! Lutam por se amar, até no pensamento? Indiferentes à perda da carne enfraquecida, Matam a dor da saudade do momento, Enternecidos, seus espíritos se fundem, nos dias que restam de vida! Uma vida dedicada ao sentimento sublime

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

O Sonho

O Sonho Noite agitada esta, que passa lentamente... Povoando a mente de contraditórias imagens... Noite fria...Esta noite em que se sente, A saudade de viver novas e longas viagens... O olhar da Alma, se perde no horizonte... Tantos pensamentos assombram o coração. O espírito sente a brisa gelada de um vazio, Que tomou conta de todo o tipo de emoção! Sentimos então nosso ser vaguear, Por entre sonhos, que nos deixam mais perdidos, Sem saber como agir, e o que fazer. Nosso íntimo busca o significado de Amar... Mas nada encontra! Perdem-se os sentidos... Pois o sonho já se começa a desvanecer!... Cátia Rodrigues

quinta-feira, 31 de julho de 2008

De Corpo e Alma

Sinto uma brisa tocar meu rosto, e minha alma.

Na minha mente florescem ideias … imagens!

Ás quais vou reproduzindo com relativa calma,

Como momentos da minha vida, como minhas "passagens"…

Vou-me dedicando a tudo o que me é importante.

À arquitectura, à pintura ou aos sentimentos.

Registando cada situação que considero relevante,

Nas minhas telas, desenhos, textos ou simplesmente em pensamentos!

As horas vão passando, assim como a vida…

Na alma ficam marcadas todas as recordações!

A ilusão, é uma perspectiva à muito perdida,

Ficaram apenas os sonhos assim como todas as minhas emoções…

Passo tempo da minha existência a lutar,

O restante tempo a reproduzir sonhos profundos!

Desejos que me movem, para os conquistar.

E assim, vou construindo, um a um, os "meus pequenos mundos"!

Vão surgindo as minhas imagens, os meus sonhos vão se materializando.

Calmamente organizo-as no espaço, e, no meu coração!

Meus objectivos pessoais lentamente vão-se focando…

Assim como, a intensidade desta suave e artística paixão!

O espaço que me envolve, está preenchido de pedaços do meu ser!

A minha exposição é portanto um álbum de desejos e momentos…

Reflexo do meu espírito, força que me faz crescer.

Manifestações de muitos dos meus sentimentos!

É visível portanto, o produto da minha dedicação!

De corpo e alma me entrego a amar-te…

Vives no meu interior, neste meu coração,

Minha bela, fascinante e viciante… Arte!

Cátia Rodrigues

quinta-feira, 29 de maio de 2008

o reflexo do caminho percorrido...

Obra realizada para o 1º Salão internacional de Artes Plásticas de S.João da Madeira O reflexo do Caminho Percorrido Incontáveis são os passos dados em falso, Que ao longo da nossa juventude marcam a nossa personalidade. Viver, é sinónimo de “caminhar descalço”, Numa superfície repleta de rugosidade. Mas quando conseguimos nos “calçar”, À medida que andamos, conseguimos observar atentamente. Que a vida tem eternos obstáculos por ultrapassar, Inexistentes no olhar, mas que a alma tanto sente… É assim, que nosso “sapato” fica marcado, Pelo fluído que representa o sofrimento, Esse sofrimento, que passa por nós, e tanto atinge a alma… Somos seres recordando o passado, Assim como cada belo sentimento, Procurando em cada momento, um pouco de felicidade e calma! Caty

" the violation of the humanity "

A Violação da Humanidade Mistura de tristeza, desespero e sofrimento, Violando a alma, e o coração… Coração que apenas sofre a cada momento, Que trás infelicidade, ausência de emoção… O sofrimento percorre o corpo e o espírito rapidamente, Num vazio profundo que parece não terminar. Tantos pensamentos voam na mente, E, esta dor que não pára de torturar! Solidão presente, assim como um desespero duro, Tudo deixa de ter sentido, coerência! Apenas o frio e a ausência têm margem… Sobre a vida abate-se este pranto escuro, Fica apenas a frase em persistência: “Pai, perdoa-lhes, porque não saber o que fazem!” Cátia Rodrigues

segunda-feira, 31 de março de 2008

Cumplicidade Humana

Cumplicidade Humana Corpos que se envolvem espontaneamente, De uma forma carinhosa e singular. Que faz despertar o que este ser sente… Assim como a sua vontade de amar. Tonalidades quentes, aromas ardentes… Fazem parte de momentos de harmonia. Em que entregamos nossos corações carentes, E iluminamos a nosso alma, que até aqui permanecia vazio… Pedaços de nós, se perdem, Entregamos-nos ao outro docemente, Almas e corpos se fundem… Vivemos as paixões que nos perseguem, Somos percorridos por arrepios que o sente, Em dias em que os espíritos, amor pedem… Caty

Cumplicidade Humana

Cumplicidade Humana Corpos que se envolvem espontaneamente, De uma forma carinhosa e singular. Que faz despertar o que este ser sente… Assim como a sua vontade de amar. Tonalidades quentes, aromas ardentes… Fazem parte de momentos de harmonia. Em que entregamos nossos corações carentes, E iluminamos a nosso alma, que até aqui permanecia vazio… Pedaços de nós, se perdem, Entregamos-nos ao outro docemente, Almas e corpos se fundem… Vivemos as paixões que nos perseguem, Somos percorridos por arrepios que o sente, Em dias em que os espíritos, amor pedem… Caty

A espera

A espera Segundos, horas, dias intermináveis… Pedes a Deus que leve este tempo de solidão… Embora saibas que estas dores, por ti dispensáveis, São fundamentais para uma equilibrada reflexão! Teu ser divaga entre o vazio e a tristeza, A situação adquire as linhas que limitam teu ser… Tentas ver em cada dia um pouco de beleza, Mas a falta de amor, e a solidão fazem-te sofrer! Assim vês a imagem da tua existência, Um coração sofrendo o vazio, sangrando Num ambiente sinuoso… Buscas no teu dia-a-dia a paciência, Para confortar um peito que se vai desleixando, Mas te afundas levemente num caminho triste e perigoso!... Caty

uma pagina da vida

Uma Página da Vida

Longos dias de trabalho dedicado,

Tornam nossos dias um desafio constante…

Simultaneamente doloroso e demorado…

Castigando o corpo e a mente, a cada instante!

O cansaço apodera-se de todo o nosso interior.

Uma sensação de esgotamento nos percorre a Alma…

Tentamos alcançar algo que consideramos “superior”,

A tão desejada e precisa calma!

O tempo desaparece! Se esgota finalmente!

O trabalho ficou por fim concluído.

E mais um obstáculo a muito custo se passou!...

Esperamos o resultado, pacientemente,

Que o nosso esforço seja reconhecido,

Depois do trabalho que tanto nos “castigou”!...

Cátia Rodrigues

o meu natal

Amadurecimento

Amadurecimento Experiência, nesta existência adquirida, Vai castigando a alma e a mente. Através da amargura desta vida, O coração vai perdendo o que sente! Lições de moral, que fazem parte do dia-a-dia, Dores, sofrimentos que magoam a alma. Fecha-se um coração que sorria, A emoção é substituída por um vazio e calma… O ser torna-se mais maduro, As infantilidades deixam de ser tão constantes, Criamos barreiras para não voltar a sofrer… Ficamos mais preparados para um duro futuro, Com dificuldades em vez de ilusões brilhantes, E com um espírito mais forte, que se sente crescer!

Visão do Futuro

Visão do Futuro O progresso envolve este nosso mundo. Sentimos a evolução a cada dia passado. Somos invadidos por um sentimento profundo, De concretizar tudo o que temos desejado… E, neste percurso rumo ao futuro, Muitas vezes na pele sentimos… O quanto o trabalho é duro, E, vencê-lo nem sempre conseguimos… A alma ressente-se então… Amolecendo, fraquejando involuntariamente, Sem que seja a sua vontade… E, chegamos à conclusão, Que devemos seguir o que o coração sente, E não, um discurso cientifico com prazo de validade…

“coração perdido”

Coração Perdido… A brisa gélida vai passando dentro da alma, Tocando e ressequindo cada ferida aberta… Tudo fica envolvido numa exagerada calma, Num peito, onde a solidão cada vez mais desperta… Lembranças voam na mente, deixando uma saudade desesperada, As tentativas de obter o controlo dos sentimentos são em vão… Apenas se sente ainda o aroma desse amante… Que conseguiu, ainda que indesejada mente, tomar o coração! Mas os dias vão correndo lentamente, Tudo voltará à sua normalidade… Nem que este coração tenha sofrido… A vida é sentida com a alma e não com a mente, De forma a alcançar momentos de felicidade, Mesmo que seja para depois sentirmos o nosso ...
Cátia Rodrigues

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

A Morte

A Morte

Final da nossa existência neste mundo…

Os corpos desfalecem a cada segundo passado.

As almas voam para um lugar desconhecido,

Deixando outras morrendo, pelo desgosto deixado.

Culminar da vida dos sonhos, da esperança.

Faces imóveis, desaparecendo num tempo vazio, cheio de nada!

Faces vividas, marcadas pelo tempo, ou até mesmo de criança.

Ela aparece sem previsão, nos leva sem volta, deixando as faces apagadas!

E, assim como leva as vidas, leva sentimentos…

Destruindo-as, ou deixando um rasto de dor.

As ilusões, paixões, sonhos, caem como ruínas envelhecidas…

Modificam-se todos os pensamentos,

Assiste-se assim ao fim de um possível amor…

Ou então de à morte de todos os sentimentos, e da razão da existência das nossas vidas!

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Blogue das Artes

O Blogue das Artes, criado por Tiago Nené e Duarte Temtem, tem como objectivo reunir amantes de toda e qualquer arte, com o desejo do conhecimento, da partilha e da troca de experiências, de opiniões e de próprias vivências que, na sua essência, se tornaram arte. Visitem-nos e colaborem!

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

CONTRASTES ARTÍSTICOS

CONTRASTES ARTÍSTICOS Exposição colectiva de pintura, escultura e fotografia, que terá lugar na Sala D. Domingos Pinho Brandão do Mosteiro de Sta. Mafalda de Arouca. Que estará patente desde o dia 8 de Setembro (dia da sua inauguração e respectivo porto de honra pelas 17h) até ao dia 7 de Outubro de 2007. Os artistas participantes nesta exposição, são: Albano Ruela (Pintor/Escultor – Oliveira de Azeméis) André Bessa (Pintor – Maia) Camol d'Évora ( Pintor – Évora) Carlos Belém (Pintor – Arouca) Cátia Rodrigues- Caty ( Pintora – Vale de Cambra) Crispim Ferreira ( Pintor – Maia) Filipe Paiva (Pintor – Sta. Maria da Feira) Fraguial (Pintor - Loures) Humberto Silva (Escultor – Vale de Cambra) João Carita ( Pintor – Lisboa) Jorge Miguel (Pintor – S. João da Madeira) Kim Molinero ( Pintor –Lisboa) Lopes de Sousa ( Pintor – Aveiro) M. Glória (Pintora – Vale de Cambra) Norberto Ricardo (Fotógrafo – Cucujães) Paulo Martins (Fotógrafo – Vale de Cambra) Ricardo Passos ( Pintor – Lisboa) Rui Sousa ( Pintor – Oliveira de Azeméis) Susana Ribeiro (Pintora – Porto) Veloso (Pintor – S. João da Madeira ) Vítor Ferreira (Pintor – Vale de Cambra) Vítor Moinhos (Pintor - Lisboa) Convidamos a visitar esta mostra de arte (e a estar presente na inauguração), destes artistas. Provenientes de variados locais do país, que através das suas obras, nos levam a “viajar” pelo incrível mundo artístico em que se inserem e o qual desejam transmitir!

sábado, 10 de março de 2007

Saudade de Amar

Saudade de Amar Sentimento que tão bem sabe magoar. Faz parte da nossa existência e da vida... Atinge qualquer um que saiba amar, Porque magoa a cada lembrança de uma pessoa querida... Docemente as recordações nos envolvem, Num ambiente de conforto e felicidade... Mas consigo vem a noção da distância, E o que era agradável, transforma-se em Saudade... E, por entre lembranças frequentes, Sentimos o aroma de alguém importante, Assim como o seu toque delicado... A saudade afecta os corações quentes, Separados por uma contagem distante, Que faz qualquer um se sentir abandonado... Caty

quarta-feira, 7 de março de 2007

Tormento

Tormento Horas se desfazem rapidamente, fica o vazio... Voa, passa este tempo que quase não se sente... Na alma fica apenas a solidão, e este frio! Que envelhece a carne , e perturba a mente! Não se escontram as soluções esperadas... Nem o carinho preciso, e tão desejado. Ficam apenas feridas abertas, almas magoadas, Assim como um olhar triste, deste ser desesperado. Os trabalhos não ficam concluídos, Não aparecem soluções indispensáveis, E, o tempo não pára de passar... Segundos, horas, dias destruídos, Com trabalhos, pensamentos, dores intermináveis, Por este desespero, reflectido no olhar... Caty

Projecto Promissor

Projecto Promissor Vida oferecida como investimento, Num futuro, numa carreira profissional. Fica para trás o sonho, o sentimento, Para alcançar a formatura, ou um cargo especial... Teu olhar flutua, entre tua alma e a tua mente. Dentro de ti, grita teu gosto pela arquitectura... Mas ao mesmo tempo chora, o coração que não sente, Que vive a cada dia , apenas mais uma aventura! E, assim nasce a obra da tua vida, Essa imagem de contrastes fortes e de beleza, Que tanto refecte teu ser... ! És mais do que uma pessoa querida, És obra de Deus, e da natureza, Com medo de crescer!!!... Caty

Encantamento

Encantamento Consigo sentir o teu aroma, que tanto desejo. Sem estar contigo, sem te tocar... Constantemente lembro-me do sabor do teu beijo, Que teve o poder de me encantar... Fechando os olhos, consigo ver-te claramente, Dá vontade de correr para ti, de te abraçar, Não fazes ideia do quanto minha alma te sente, Mesmo quando estás longe do meu olhar... Dedicaste-me tuas palavras, tua alma... Lembro cada momento passado com carinho... E desejo ter-te de novo a meu lado. Consegues abalar minha mente, a minha calma, Não permites que meu coração se sinta sozinho, Fazes parte de mim... meu ser "iluminado"...! Caty

Amor Prisioneiro

Amor Prisioneiro Duas almas, duas mentes, um ser! Os corpos e os espíritos fundem-se suavemente... Momento mágico que tento descrever, Através de palavras sinceras, de um olhar transparente... Os momentos passam rápidamente, Sem que se note, o tempo termina... O coração bate fortemente, Num ritmo próprio , em que a paixão domina! E, assim vivemos nossas vidas, Horas passadas, idealizando momentos, Que sonhamos vir a concretizar! Nossos beijos são vitórias conseguidas, Manifestações de sentimentos, Prisioneiros, e castigando os corações que querem amar!... Caty